Mar 012014
 

Cinéma du Réel – Festival International de Films Documentaires homenageia o 25 de Abril

A intenção do Cinéma du Réel é “relembrar e ver hoje filmes extraordinários, que tentaram dar corpo à revolução e também dar-lhes uma voz para nos despertar do sono profundo em que a crise nos mergulhou”, citando a nota de intenções do festival.
Nota de intenções que avança ainda que à época “uma geração de jovens realizadores portugueses que finalmente encontravam um país que correspondia à sua criatividade e vitalidade, enquanto realizadores de todo o mundo filmavam em Portugal, onde tudo parecia possível”.
Entre os filmes seleccionados para este ciclo estão Adeus, Até ao Meu Regresso, de António-Pedro Vasconcelos (1974), Deus, Pátria, Autoridade, de Rui Simões (1975),Que Farei Eu Com Esta Espada?, de João César Monteiro (1975), Barronhos: Quem Tem Medo do Poder Popular?, de Luís Filipe Rocha (1976), Torre Bela, de Thomas Harlan (1977), Terra de Pão, Terra de Luta, de José Nascimento (1977), Nós Por Cá Todos Bem, de Fernando Lopes (1976) e ainda os filmes colectivos Caminhos da Liberdade, pela Cinequipa (1974) e A Lei da Terra, pelo Grupo Zero (1977).
Destaque ainda para Cenas da Luta de Classes em Portugal, do realizador norte-americano Robert Kramer (1977) e Terra de Abril (Vilar de Perdizes), de Philippe Costantini e Anna Glogowsky (1977).
O ciclo, com curadoria de Federico Rossin, conta com a parceria da Cinemateca Portuguesa e da Apordoc – Associação pelo Documentário.