Os Ticuna

A voz de Araci começa a narrar os feitos de Yuche.

ARACI
Yuche vivia junto ao rio, na selva Amaz√≥nica. Um dia, estava a tomar banho num riacho quando viu a sua imagem reflectida no rio e descobriu que tinha envelhecido muito. Sentiu uma grande tristeza e quis regressar imediatamente √† sua cabana. Pelo caminho, o sussurro da selva e a can√ß√£o dos p√°ssaros o deixaram numa profunda melancolia…

XAVIER
S√£o bonitos os teus desenhos..
Joana sobressalta-se e olha para Xavier.
XAVIER (cont)
O que é que estás a desenhar?
Xavier aproxima-se mais para espreitar os desenhos.
JOANA
(indicando no desenho os índios que têm uns S no lugar das pernas)
Os esp√≠ritos que vivem na Terra N√©voa…
XAVIER
O que é isso da Terra Névoa?
JOANA
√Č uma Terra feita de vento…
Joana observa Xavier que ouve com atenção.
JOANA (cont)
Por isso os espíritos não têm pernas, ficam suspensos no vento.
XAVIER
Onde é que é essa Terra?
JOANA
Fica no fim do mundo, antes da terra dos antepassados. 

ARACI
Esta √© a Mawo, a m√£e dos ventos e dos montes… Quando era mi√ļda, ela me deixou 2 dias perdida na floresta. O vento soprava de lugares diferentes e eu n√£o me conseguia orientar…
XAVIER
E como é que te salvaste?
ARACI
Segui um caititu at√© ao rio… no rio o yo‚Äôi me mostrou o caminho e fui indo √† beira…

ARACI
(apontando para umas canas que seguem com a corrente do rio)
Está a ver essas canas ali?… já estão distantes do lugar onde nasceram. São como nós…
Joana n√£o responde.
ARACI (cont)
Quando a minha mãe tinha a sua idade ainda vivia na tribo, antes de chegarem os seringueiros… como sanguessugas do rio… nessa altura o nosso povo dividiu-se. Uns, pensaram dar uma vida melhor aos filhos se trabalhassem para os brancos… mas ficaram ainda mais pobres. Muitas meninas da nossa tribo desapareceram…
Joana fica pensativa.
JOANA
E os outros, avó?
ARACI
Os outros, como a minha fam√≠lia, afastaram-se para o interior da floresta‚Ķ e perdemos nossa uni√£o. desde a√≠ pouco mudou‚Ķ os pe√Ķes do desmatamento continuaram a destruir a floresta.
JOANA
(Joana interrompe Araci)
E o av√ī?
ARACI
O seu av√ī n√£o era assim‚Ķ sempre defendeu o √≠ndio. A sua m√£e era igual a ele, lutaram pela nossa tribo e pelas nossas terras‚Ķ
(Araci recorda a filha e o marido que morreram)
Pensei que cá ia ser diferente… mas fiquei mais fraca, minha filha, longe da floresta.